Professora da Escola Municipal João Ferraz recebe o “Prêmio Educação Infantil” com projeto desenvolvido durante pandemia

Publicado em 01/04/2021 às 17:08

Professora da Escola Municipal João Ferraz recebe o “Prêmio Educação Infantil” com projeto desenvolvido durante pandemia

Em tempos de pandemia, os profissionais da educação precisaram se reinventar e adotar novas estratégias pedagógicas para continuar possibilitando o aprendizado dos seu alunos através das mídias digitais. Em Queimadas, a Secretaria Municipal de Educação (SEDUC) incentiva seus professores a desenvolverem projetos inovadores e a professora Jocilene Alves Barbosa é um destes exemplos de sucesso.

Jocilene é professora da Educação Infantil na Escola Municipal João Ferraz, no sítio Ferraz, e durante o ano letivo 2020 foi motivada pela proposta temática da SEDUC para adotar a fotografia como ferramenta pedagógica de incentivo à criatividade e à aprendizagem dos seus alunos. Ela desenvolveu o projeto “Apreciando fotografias, revivendo memórias, partilhando emoções e construindo saberes” e no último dia 31 de março foi premiada com o Prêmio Educação Infantil 2020, promovido pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal com o apoio da UNDIME e do Itaú Social que reconheceu as boas práticas de professores da durante a pandemia.

O prêmio selecionou as 100 boas práticas que mais se destacaram entre os projetos inscritos de todo o país. Os educadores premiados participarão de um curso de formação sobre a BNCC-Educação Infantil especialmente criado pelo Instituto Singularidades, além de uma premiação em dinheiro.

Ao receber o resultado, Jocilene falou sobre a emoção de ter o trabalho reconhecido a nível nacional. “Primeiramente é um sentimento de gratidão, por ter persistido em meio às dificuldades que a pandemia nos trouxe e ainda assim ofertar um ensino de qualidade, rico na produção de saberes partilhados de maneira on-line com meus alunos. Também fico muito emocionada em estar representando a classe dos professores que se reinventam todos os dias para levar o conhecimento a cada lar”, disse a professora.

 

SOBRE O PROJETO

O primeiro passo do projeto foi abordar a história da fotografia junto aos alunos através das aulas remotas. Em seguida, a professora partilhou com a turma algumas fotografias de sua infância e incentivou os alunos a fazerem o mesmo através de videochamadas.

O próximo passo foi solicitar que as crianças, com o auxílio dos pais, tirassem fotos de sua localidade para socializar com a turma e construir câmeras fotográficas de brinquedo a partir de materiais reciclados, para estimular a criatividade.

Com o resultado das atividades, foram realizados jogos para analisar diferenças nas fotografias e um chá da tarde, momento das crianças com suas famílias para rever e apreciar os álbuns de fotos da família. Por fim, as crianças fizeram um relato oral de suas experiências e como o projeto marcou cada uma.

De acordo com a professora Jocilene, o projeto garantiu principalmente o direito da criança de interagir, aprender e socializar seus conhecimentos, mesmo que em casa através das aulas remotas. “Outro direito que evidenciamos bastante foi as relações de amor e proteção por parte dos pais e familiares, pois buscamos gerar vínculos afetivos em todas as atividades propostas, dando vez e voz à criança como protagonista de sua aprendizagem”, destacou.

Tempo
Queimadas - PB
Mín 23ºC
26º
Máx 29ºC
Pancadas de chuva

Mais Lidas